sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Delicadeza, Pé na porta e Soco na cara

Babydoll - Sucker Punch (O exemplo perfeito de personagem doce e poderosa)
Falaê amigos Aventureiros e Nerdaiada sedenta de poder!

Até então, meus posts foram focados em descrições. Que tal focarmos agora no fator Interpretação?


Neste post vou focar uma interpretação que a grande maioria (dos homens, é claro) tem dificuldade em fazer.

Já sacou qual é esta?
Pois é... a Babydoll não está aí do lado atoa.

Nas diversas mesas em que tive o prazer (e desprazer) de estar, não houve UMA ÚNICA interpretação realmente envolvente/convincente de uma personagem mulher (Quando digo mulher, me refiro a uma figura feminina. Não uma bárbara escrota que fede pizza mofada ¬¬), feita por um jogador/mestre homem.

Isto se deve a o que afinal de contas?!

- Algumas vezes eu acreditei que fosse um "autopreconceito" (WTF?!). Sabe aquela limitação psicológica/incerteza da própria sexualidade que a pessoa tem, e por isto ela não faz nada considerado o mínimo feminino? (Eu conheço caras que não falam a palavra "linda" pq acham a palavra em si, feminina demais. Prefere falar bonita ou gostosa, mas linda não ¬¬ fala sério).

- Outras vezes eu realmente acreditei na incapacidade de uma pessoa não conseguir interpretar uma mulher. Mas poxa... como assim o cara é incapaz disto?! Ele interpreta um Orc, Dragão, Observador, o próprio Cthulhu, às vezes interpreta velhinhas caducas tipo aquelas de anime (avacalhadas, baixinhas e etc...), mas é incapaz de fazer uma interpretação um pouco mais feminina pq "não consegue"?!

Não fode ¬¬"

Homem que é homem sabe que é e não deve satisfação a ninguém por conta disto. Vc acha, que por estar numa mesa de RPG (geralmente recheada de marmanjo), ao interpretar uma personagem mulher, vai ser taxado por causa disto? Se for, eu tenho dó de vc por jogar em mesas como esta.

Kurenai - Red Ninja
Deixa este preconceito de lado pq vc tá perdendo uma parte muito importante da narrativa. Interprete da forma que for preciso, que vc achar melhor, e que convença seus jogadores/mestre.

As dicas que eu dou ao interpretar uma personagem (que seja menos bruta) são:

  • Amanse a voz: Não precisa afinar, só fale de jeito mais manso.
  • Trabalhe o psicológico: Lembre-se que a personagem é uma mulher mais delicada, evite as manias, gírias e demais fatores que injetem testosterona nela.
  • Sinta-se na pele dela: Ela não coça o saco, ela provavelmente se ofende com machismo, mas ainda assim ela age como uma mulher, e não como um brutamontes. Até mesmo em um combate, ela n vai sair cuspindo no chão, descendo o pé como um policial ou algo do gênero (a não ser q esteja interpretando uma mulher com uma "pequena" dosagem de testosterona, mas isto n é a ideia do post).
  • Mude sua fala: Experimente mudar não só o tom de voz, mas também o ritmo da fala.
  • Inspire-se em alguém: Seja uma personagem de filme, quadrinhos, mangás, animes, amiga, namorada, não importa! Veja esta pessoa com mais atenção, veja algumas características que vc acha interessante em colocar em uma personagem e parta pro teste!

Alguns podem até achar que estas dicas são desnecessárias, mas vai por mim, mesmo com as dicas e referências te cercando por todos os lados, tem gente que simplesmente não coloca em prática.
Pode ser meio vergonhoso no início, mas não é algo que requer tanto esforço, é só achar a forma que te deixa mais à vontade para interpretar e pronto!

Quando entrar em combate, não se esqueça das grandes referências do cinema. Elas te servirão como excelente fonte de inspiração.
Aproveite a deixa, e tome esta cena como exemplo:


Abração do Mestre Hobbit!!

11 comentários:

  1. Eu já sofri uma vez do grupo achando ruim que eu interpretasse uma personagem um pouco mais feminina. Minha ladina/assassina era cheia de cicatrizes, mas tinha o corpo atlético bonitão por causa da profissão. Ela não tinha frescuras interraciais com minotauros, goblins, elfos, humanos, nada do tipo. Uma mulher meio grossa meio feminina. Todo mundo chamava ela de vadia porque ela dava mole pra todo mundo. Mas ninguém ficou com ela por frescura dos jogadores. Nem npcs eu conseguia pegar, por frescura do mestre.
    O personagem não tinha carisma, era na base do "e aí gato, rola ou não rola?" Em combate ela era como um homem, agressiva, sanguinária, eu era o que mais matava no grupo.

    Enfim, meu exemplo é pra mostrar que mesmo uma personagem ligeiramente feminina interpretada por um homem já sofre preconceito de jogadores machistas, fora o preconceito comigo também né.
    "se vc fosse mulher ce ia ser uma puta, suna?"
    Não, e minha personagem não é puta, ela não cobra pra fazer sexo e nem faz sexo. SE ela pegasse todo mundo, tudo bem, mas ela não pega ninguém, então ela tá mais pra forever alone do que vadia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenso bagarai!
      Pois é cara, a situação é mt tensa.
      Acredito eu q a forma mais fácil de vc introduzir uma personagem mulher como jogador, é antes vc ter o costume de utilizar personagens femininas como narrador.

      Eu comecei com a Isabelle (Giovanni do Vampiro a Máscara), ela se tornou minha personagem mais conhecida de tds meus grupos. Ela era um mix de criança mimada, mulher amargurada e vingativa. Ela tocava o terror no pessoal por causa do tamanho de seu poder.

      Após isto, eu vi q dava conta, a mesa aceitou a interpretação bem (afinal de contas, como mestre, vc impõe mais respeito), e a partir daí eu sempre fui bem recebido em mesas ao interpretar mulheres.

      Sempre que entro em uma mesa como jogador ou quando narro e só tem personagens homens, instintivamente eu crio uma npc principal/personagem mulher. Acho fundamental que uma crônica tenha um toque feminino pra se tornar mais realista.

      Por sorte, como minhas personagens são bem aceitas, eu já tive jogador que se casou com NPC minha, personagem minha q já namorou personagem de outro jogador (o q sinceramente me deixa incomodado ainda, n é algo q curti interpretar. com npc é mais de boa.)

      Uma vez, narrando Tecnocracia pra uma turma, o personagem de um amigo (Raphael), que foi mt bem construído, tinha um prelúdio bem feito, família (uma mulher grávida) e mantinha seu trabalho em segredo. Teve um momento que ele chegou tarde em casa por causa do trabalho, já anunciando q precisaria viajar em breve. A mulher dele pirou, e eles tiveram uma DR digna de oscar. foi MUITO FODA interpretar isto, pq foi mt real.

      "J"ogadores e "j"ogadores, são bem fáceis de distinguir.

      Excluir
    2. Bela resposta Éric, acho que o caminho é exatamente esse valorizar os npcs femininos... Por mais que eu sinta que existe muito preconceito em um homem interpretar uma mulher, é totalmente possível viver uma mulher no papel... O importante é respeitar seus limites (não acredito que seja possível separar 100% personagem de player) e buscar a naturalidade... Levantar uma questão como essa é um bom sinal, infelizmente tem "j"ogadores extremamente egocêntricos que gostam de desmerecer a interpretação...

      Excluir
  2. Eu acho que não pode haver distinção entre a abordagem do narrador, no sentido de preconceito. A história requer um NPC do gênero feminino, o narrador interpreta e pronto, nunca tive muita dificuldade com isso, embora entenda da onde vem o preconceito. A voz deve ser ligeiramente mais delicada, mas sem tentar emular uma voz feminina real, pois fica mto caricato, aí os deboches começam.

    André

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvidas!
      vc tá muito certo em relação a isto.
      Emular a voz feminina dá brecha p zuação. o negócio é ser um pouco mais delicado mesmo.
      Eu nunca tive dificuldade com isto também, o maior problema tem sido outros (não todos).

      Excluir
  3. É mais fácil um cara atuar como um cara,pq isto é mais coerente e similar a si.
    Não tem nada a ver com sérios problemas com sua sexualidade...por isto ele não consegue interpretar papeis femininos de mais.É uma questão de coerência e similaridade,pois é mais provável um homem ser homem do que um homem ser mulher.Por isto é mais provável ele interpretar algo similar a si,a não ser que seja afeminado...não quero dizer gay.
    Mas não precisa ficar evocando problemas profundos de afetividade e sexualidade só pelo fato do homem não querer interpretar uma mulher de forma feminina.É natural ser assim e pronto.Vou ser o Orc brutamontes não a clériga boazinha pacifica que cura e buffa todo mundo.
    E se eu for ser mulher,vai ser uma Orc Brutamontes...hahaha.Mas eu interpretaria um papel feminino sem problemas...alias amo,mesmo sem ser RPG de mesa como eu chamo...adoro jogar com mulher.
    Tenho uma Nordica no Skyrim e curti muito ela.Uma templária no Ragnarok....e uma noviça...ai ai

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa! e aí cara, tudo bem?
      É uma questão de similaridade sim, vc n ta errado não.
      A questão que eu quis abordar é que um mestre/jogador que seja mt bom, ele consegue interpretar os dois sexos. interpretar as raças e seus costumes, que é o mais difícil, as pessoas já fazem. Isto sem ter muitas referências.
      Não se vê muito conteúdo para fazer uma interpretação de um dragão, mas de mulheres vc vê aos montes.

      Não acredito que em 100% dos casos seja "vergonha", eu abordei o termo pq, vamos concordar, ele é o mais comum, n é?
      Então, existem outros motivos sim, muitas vezes o cara simplesmente não gosta, não se sente a vontade e faz o máximo q pode em relação a isto.

      A idéia do post foi ajudar os mestres/jogadores a fazer uma melhor interpretação feminina. pq, querendo ou não, faz muita falta em uma campanha =)

      Abração!

      * Se cadastra no google aí cara =D faz uma conta. É sempre bom saber com quem estamos conversando, p facilitar reconhecer seus comentários e tal.
      Até a próxima!!

      Excluir
  4. Realmente interpretar um personagem do sexo oposto é meio complicado; Sempre dou uma travada quando tenho que interpretar um homem, questão do modo de agir, engrossar a voz e tal. Mas nada que um pouco de prática não melhore

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que no fim das contas, o que vale é não desistir, e sempre aprimorar a interpretação ^^
      uma hora a gente acaba acertando =)

      Excluir
  5. Muito útil todo o blog, mas de fato curti esse post! Parabéns Eric pela iniciativa!
    E de fato interpretar alguém do sexo oposto é complicado, principalmente quando homens precisam interpretar mulheres...parece que rola um preconceito tosco, enfim é bom que todos (homens e mulheres) melhorem suas interpretações! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Ju!
      valeu pela participação =)
      pois eh! essa coisa de interpretar o sexo oposto trava muita gente no início, e o preconceito só agrava a situação. o que a gente deve fazer é sempre procurar melhorar. E qualquer coisa, estamos aí, n é? =)

      Excluir