terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

RW Tempo/Aggro/Midrange

Como vocês podem perceber, Boros é minha combinação de cores favorita né aiusehauisehaiueh mas enfim, depois de fazer muitas brews malucas incluindo uma digna de continuação, cheguei a essa lista assistindo o Super Sunday Series da semana passada que ganhou Luis Salvatto pilotando esse deck. O que me atraiu nele foi a consistência, parecia que todos os jogos ele comprava as mesmas cartas e o deck sempre funciona. Outra coisa que me chama a atenção é a card advantage virtual que o deck é capaz de gerar, você precisa de muito pouco pra causar uma quantidade enorme de dano. Contra Abzan aggro nas quartas de final o Salvatto, nos dois jogos, acabou com a mão do oponente enquanto ele ainda tinha 3~4 cartas na mão e uma board presence mais forte.



4 Forjaria do Campo de Batalha
10 Montanha
5 Planície
4 Templo do Triunfo
1 Terras em Desenvolvimento

3 Brimaz, Rei de Oreskos
4 Buscador do Caminho
4 Dragão Sopro de Tempestade
2 Fênix Nuvem-de-cinzas
4 Goblin Líder da Plebe
4 Acorrentado às Rochas
4 Ataque da Mini-horda
4 Atiçar as Chamas
2 Chandra, Piromestra
3 Golpe Relampejante
2 Postura Valente

Sideboard
3 Grifino das Asas Serenas
3 Apagar
2 Cerco ao Posto Avançado
2 Erupção do Pico
3 Fulgor da Heresia
2 Sarkhan, Porta-voz dos Dragões

Eu particularmente gosto muito dessa lista com 4 Dragões e Brimaz. Qualquer bicho que ficar na mesa te dá vantagem na corrida, é muito muito difícil ganhar desse deck na corrida, seja pelo lifegain do Seeker ou pela quantidade de burn ou pelo simples número massivo de criaturas.
Como qualquer bicho do deck é suficiente pra matar seu oponente sozinho, o deck opera muito bem contra decks de controle por causa do Ímpeto, as burn spells, as fênix que são bem chatas de matar. Você não precisa colocar muita coisa na mesa e o oponente tem que responder logo, se não a quantidade de dano que vai levar é muito grande.

Testei esse deck contra UB e Sultai control (o do gerrard Fabiano) e o deck se comportou extremamente bem em ambos matchups. Muitas vezes quando não vinha Jace's ingenuity ou Dig Through time o RW conseguia ganhar o jogo de card advantage só com a card advantage virtual gerada pelas tokens.

O deck é extremamente robusto e não tem nenhum matchup muito difícil, alguns são salgados, mas nada que eu considere bad matchup. Também não achei nenhum matchup gratuito, com 60%+ de vitórias. O deck se dá bem contra todo mundo e é bastante difícil de correr contra. A grande jogada do deck é gerar muita board advantage por meio de criaturas geradoras de tokens, tornando removal 1 pra 1 bem fraco.

Eu curto os Brimaz no maindeck, mas não me sinto seguro jogando com as Fênix, acho elas muito lentas e o morph delas raramente chega a ser relevante num jogo. No lugar, eu coloco Shaman of the Great Hunt. Se você já leu algum dos meus artigos anteriores sabe que essa carta é uma das minhas favoritas de FRF.  Qualquer estratégia de Tokens deve jogar Shaman, eu acho que ele faz parte da santíssima trindade da agressão vermelha: Rabblemaster, Stoke e Shaman. Ele é tão bom que eu vou com tudo no caminho do Shaman porque ele morre muito fácil, mas a quantidade de dano que ele me dá ao longo do jogo é muito grande. Mesmo que não dê pra usar a habilidade ativada dele, ele é infinitamente melhor que a Fênix. Eu acho que 4 Lightning Strike é importante porque ter 8 drop 2 é extremamente relevante quando você tá fazendo o papel de Tempo, você TEM que jogar algo à partir do turno 2.  Já o Brimaz acho lento e muito pesado em cor de mana, mas não posso negar o power level dele, por isso cortei só 1 da lista.

Tenho jogado Monastery mentor com muito sucesso na lista também, os turnos em que você usa uma removal pra tirar um blocker e passar dano são muito mais fortes quando se tem monastery mentor no deck, mas esse não é um deck de Monastery Mentor, é um deck de Stormbreath Dragon, então só vão 2 Mentor na minha lista.

Chandra é muito boa nesse deck e todas as vezes que eu castei ela eu ganhei o jogo. Dito isso, acho desnecessário usar duas. Ela começa indo pra 5, o que é chato de matar, geralmente requer mais de um atacante. Não é difícil proteger ela com os removals e os Brimazes. No turno que o cara só tem um blocker, você baixa uma Chandra e causa uns 5+ pontos de dano nele, você praticamente força ele a correr contra você e quando você induz o cara a tentar correr, ele não vai querer atacar a Chandra mesmo e pagar 4 manas pra passar 5+ de dano e ganhar 5 ou mais de life já é suficiente pra valer 4 manas.

Wild Slash é uma versão melhorada de Magma Spray, na minha opinião. Dito isso, é a melhor carta contra Master of Waves (o maior terror do RW) não porque você mata ele com ela, mas porque você pode fazer ele blocar, achando que tem um block bom contra uma criatura vermelha e, com wild slash levar não só o master of waves como toda a horda de tokens de cavalos aquáticos.
Nos Matchups contra aggro wild slash é uma versão melhor de lightning strike em muitos momentos e Stoke the flames raramente vai ser usada como removal, então rola fazer um espaço pra wild slash no sideboard. Eu não espero ver muitos RWs no meu meta, por isso não to jogando Peak Eruption, mas se rolar muitos chained to the rocks eles entram pro mirror.

Minha lista está assim:

4 Seeker of the way
4 Goblin Rabblemaster
2 Brimaz
2 Monastery Mentor
3 Stormbreath Dragon
4 Shaman of the Great Hunt
3 Hordeling Outburst
4 Stoke the Flames
1 Chandra Pyromaster
4 Lightning Strike
1 Valorous Stance
4 Chained to the Rocks

4 Battlefield Forge
4 Temple of Triumph
2 Wind-Scarred Crag
9 Montanha
5 Planícies

Sideboard
1 Valorous Stance
3 Glare of Heresy
3 Erase
3 Hushwing Gryff
2 Wild Slash
2 Sarkhan, The Dragonspeaker
1 Scouring Sands

Meu plano de Siedeboard é bem direto: Glare of Heresy in Lightning Strike out contra Abzan Midrange, sai um stoke e entram 2 Gryff também. Se tiver muitas Anafenzas trago Valorous Stance no lugar de um Shaman.
Os glare são pras cartas mais problemáticas: Rhinos, Rocas e Elspeths, Lightning Strike mata muito pouco nesse jogo e o Griffo ajuda muito contra Roca.

Contra decks aggro monoblack, monored, etc (que não sejam abzan), out: 1 stoke, 1 Valorous Stance, 1 Lightning Strike
In: 2 Wild Slash, 1 Scouring Sands.
Quero só a removal mais barata.

Contra Constellation e Sidisi Whip:
Out: 2 Lightning Strike, 1 Stoke 1 hordeling Outburst
In: 3 Erase, 2 Hushwing Gryff
Não quero ficar do lado errado de Hordeling Outburst vs Doomwake Giant, os griffos são a melhor carta desse matchup, troco os removals por removals mais baratos e eficientes.

Contra UB e decks de controle:
Out: 3 Chained to the Rocks, 2 lightning Strike
In: 2 Sarkhan, 1 Valorous Stance, 2 Wild Slash
Os Sarkhan são óbvios, Valorous Stance pra proteger os bichos e Wild Slash é burn mais barato. Deixo 1 Chained to the rocks pra lidar com Tasigur, Pearl Lake ou outras criaturas que o deck trouxer. Não é uma solução permanente pra Pearl Lake, mas ele é forçado a devolver pra mão e perder 3 turnos de lands, o que pode me dar a janela pra resolver um combo de burn e matar o cara.

Contra Jeskai ascendancy:
Out: 1 Stoke, 4 Chained to the Rocks, 2 Lightning Strike
In: 3 Glare of Heresy, 1 Valorous Stance, 2 Wild Slash e 1 Scouring Sands
Eu prefiro ter Glare nesse Matchup porque Erase é muito muito narrow, só pega jeskai ascendancy, Glare pega desde mantis rider, seeker, mentor até a Ascendancy. Apesar de ser sorcery, acho MUITO mais útil nesse matchup. Spot removal contra tokens é bem ruim, então a gente troca os chained to the rocks por um removal mais eficiente e Valorous Stance que é bom pra "anular" um removal e não raro funciona como Removal nesse matchup também. Wild Slash é simplesmente burn barato que a gente troca por 1 stoke e 1 strike, só pra aumentar a variação e 1 Scouring Sands pra ajudar a limpar as Tokens.