terça-feira, 8 de janeiro de 2013

O Atual Cenário do RPG brasileiro

Com as saudações de abertura do Eric - El Hobbiton - proponho aqui minha primeira postagem, um breve relato a respeito das ''novas'' editoras de RPG e dessa competitividade:

As editoras lutando pelo seu rico dinheirinho

Eu me lembro de quando eu comecei a jogar nosso famigerado Role-playing Game, naquela época, a dificuldade de encontrar um livro de RPG dando sopa por ai era imensa, na verdade era necessário  viajar da minha cidade interiorana até Belo Horizonte, a belíssima Capital do Pão de Queijo. E o pior: era necessário viajar, procurar algum local que vendesse, para ficar em duvida se se adquiria o livro ou não, afinal de contas, o valor a pagar nunca foi um atrativo dos jogos de RPG.

Muito bem, naqueles tempos, eu me lembro, tínhamos a editora Devir e seus tradicionais produtos, Dungeons & Dragons e a linha do Mundo das Trevas, ambos sistemas com poucos livros traduzidos. E, por ser a unica editora de médio porte que realmente mexia com RPG, a Devir era costumeiramente taxada de vilã, um ''denômio'' capitalista burguês neoliberal pagão imperialista escrava do capital estrangeiro escravista, obviamente a editora não era nada disso, mas quando se está sozinho no mercado, a tendência é que você prime o lucro a despeito da qualidade e variedade, ora, não havia ninguém com força para competir com a grande editora Devir, porque ela se preocuparia em traduzir muitos livros ou repassar um preço mais acessível?

Para ser justo, eu era muito novo na época  então posso não ser preciso ao descrever o cenário, mas lembro também da existência da editora Jambô, com seus livrinhos de aventuras, e backgrouds para combates, porém, nada que pudesse rivalizar com a Devir. Haviam também outras editoras, mas todas com baixa expressividade.

Hoje, porém, vivemos uma revolução rpgística, A editora Jambô tomou a frente de projetos antigos como o 3d&t, e segue firme com a linha Tormenta, que ao que parece será um sucesso durante muito tempo ainda, surgiu a Redbox Editora, tendo como carro-chefe os livros de Old Dragon, e a Retropunk Editora, que recentemente nos presentou com o anuncio da tradução do Savage Worlds em um projeto de financiamiento coletivo surpreendente.


Nesse novo cenário, as editoras se digladiam para o prazer do público, e, sim, o público ''somo nozes''. Embora elas não vivam uma competição direta, pois cada uma detém exclusividade de tradução de seus próprios produtos, elas vivem uma concorrência saudável para os rpgistas. Todas tem produzido muito material, e tornado-os acessíveis,  tanto a Redbox quanto a Retropunk tem produzido os livros em versões PDF - o que os torna muito mais baratos - e ao mesmo tempo tem produzido versões luxo desses mesmos RPG's, com caixas e dados personalizados.


Mas qual é o ponto? Você pode me perguntar. Bem, o ponto é: compre livros de RPG! Presenteie alguém com um livro de RPG, escolha a loja, escolha o produto e compre para você, para seu irmão, seu pai, seu tio, sua mãe, seu cachorro, que seja, quanto mais livros forem comprados mais livros serão traduzidos e produzidos.


Aliás, correndo o risco de ser acusado de merchandise, digo desde já, em geral, a loja da Devir deve ser a última a ser procurada, pois quase nunca há alguma promoção por lá (digo isso pois nunca vi nenhuma promoção lá), mas existem produtos que só se encontra lá, como o Castelo Falkenstein. Existe ainda a Moonshadows, essa loja costuma ter livros mais baratos que nos sites das editoras. A loja da Jambô com frequência deixa os livros com frete grátis. As lojas da Redbox e da Retropunk costumam ter produtos exclusivos e versões de luxo para o mesmo produto. E, por fim, sempre existem as lojas de livrarias, como a Leitura e a Saraiva, essa última com a grande vantagem de disponibilizar descontos com grande frequência e geralmente ter frete grátis.


Então é isso,  meus caros, comprem livros com a consciência de que é possível buscar o menor preço pela internet. O incentivo dado às editoras fará com que elas tragam novos materiais, como em breve chegará o RPG do Game of Thrones, o Savage Worlds e o Blood and Honor. Fiquem sempre atentos às promoções e sempre as divulguem para seus comparsas.

Até breve.


3 comentários:

  1. Pois é cara...
    passamos por tempos difíceis.
    Meus primeiros livros de RPG vieram de BH e Londrina.
    Era algo mt raro e definitivamente era caro (pelo menos os que não eram nacionais).

    Vc esqueceu de citar a Editora Daemon, que criou um universo enorme também. com livros excelentes como o Trevas, Arkanun, foi a responsável por lançar o primeiro Tormenta em capa dura.
    Não é uma editora que muitos gostem, e ela caiu muito em qualidade nos ultimos anos, mas tempos atrás ela era excelente!

    Alguns jogadores meus talvez não saibam mas aquela edição de luxo q tenho do Shotgun Diaries é da REDBOX. existe uma edição simples, mas eles optam por fazer materiais excelentes.

    Meu novo objetivo é comprar o Abismo Infinito da Retrô Punk, o livro no formato inédito (21x21cm) com um mapa e cd de trilha sonora, muito bem conceituado e NACIONAL!

    Incentivem o RPG nacional, afinal de contas, quem de nós nunca teve vontade de escrever um livro de RPG e o ver publicado!?

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o post! Gostei das dicas de locais pra comprar os livros. É sempre bom saber =)

    ResponderExcluir
  3. Eu tive sorte, quando comecei no RPG eu estava morando no Rio de Janeiro perto de uma loja especializada em coisas nerds, então foi muito natural para mim ter acesso a bons livros e garimpando em sebos eu já encontrei verdadeiras joias.

    ResponderExcluir