segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Climatização e Ambientação da Campanha (Parte 2)


Sejam Bem vindos novamente, amigos aventureiros!
Continuando o post anterior, vou mostrar pra vocês um exemplo de um mestre mecanizado, rápido, duro, e com uma visão pouco nítida do que está criando para seus jogadores.

Ao descrever esta cena do post anterior, o mestre, mesmo experiente, mas mecanizado, faria algo como:

"Há um espelho velho e cheio de teia na sala. Pelo mapa que estão usando, a passagem é por ele. - Após os jogadores tomarem a decisão de entrar, o mestre segue. - Vocês passam pelo espelho, e ao chegar do outro lado se vêm num mundo escuro e terrível. São capazes de ver criaturas horrendas ao longe, indo para lá para cá. Há um vento que não pára, levantando muita poeira. Vocês percebem que estão num reino do pesadelo!"



E então? Ruim?
Discordo. Ele fez o essencial! 
Deu uma visão aos seus jogadores, foi rápido e a partir disto os jogadores já sabem que estão em um ambiente hostil e que devem ser cuidadosos.
Mas... percebe que falta algo a mais?...
É como ir numa festa de aniversário e faltar aquele mini cachorro quente!

E é para isto, meus caros aventureiros, que servirá este post. 
Para colocar mini cachorro quente na barriga de seus jogadores!

Um mestre experiente e cuidadoso, com imaginação fértil, sem pressa e sem medo de arriscar no uso das palavras, descreveria A MESMA situação de forma diferente. Soaria como:

"Nesta sala rústica, repleta de livros antigos, mesas e estantes de madeira podre, com janelas tão embaçadas que mal a luz de fora é capaz de penetrar, vocês encontram um velho espelho ricamente decorado. Lembra muito um artefato do renascentismo, com bordas de madeira e diversas curvas. Ele está completamente empoeirado, descuidado, repleto de teias de aranha, como se não o tocassem há séculos. Pelo vidro é possível ver que ele exala uma calma energia púrpura que bruxuleia. Notem que de acordo com o mapa que vocês carregam, este é o caminho que devem seguir. - Os jogadores tomam a decisão de entrar - Ao passar pelo espelho, vocês são tomados por sensações muito desagradáveis... Náuseas, dores de cabeça, calafrios, vista embaçada, o som de tudo está muito distante, como num desmaio, e o pior de tudo... vcs são tomados por uma onda de medo!  - O mestre pede um teste que reflete na coragem dos personagens. - Após recuperarem os sentidos e a lucidez, vocês conseguem vislumbrar a manifestação do horror. Um panorama infernal se abre á frente, carregado de árvores retorcidas, lagos escuros e lamacentos, folhas secas ao chão são espalhadas por um vento gelado que fazem vocês tremerem dos pés à cabeça. À distância, vocês passam a ver algo que os fazem gelar, mas de pavor. Existem criaturas ao fundo, elas se movimentam completamente sem rumo, não são criaturas comuns, não são monstros como os que vocês enfrentaram anteriormente... são a própria manifestação de seus maiores medos, dos mais terríveis pesadelos, e é por ali, que todos vocês deverão passar. Preparem-se para enfrentarem seus maiores medos... literalmente!


Notou a diferença?
E Então, que narrador você é?
FIM DA PARTE 2

Nenhum comentário:

Postar um comentário