quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Mercado do Magic #1

"A lei básica da oferta e da procura, mais jogadores, mais gente quer as cartas, as cartas antigas não são mais impressas, a oferta é igual sempre, mais caras as cartas ficam. Magic é um jogo caro, aceite isso." _Um jogador conformado.

Antes de mais nada: Não a Wizards of the Coast não ganha NADA a mais com a alta de preço das cartas. Eles vendem produtos selados, cartas colecionáveis aleatórias. Quando uma dual land sobe de preço, eles não ganham um centavo a mais com isso.

O lance da procura e oferta é um pouco mais complicado. O número de cartas ofertadas no mercado de magic é variável. Não é igual ao número de cartas impressas, mas ao número de players dispostos a vendê-las. E magic não é um bem durável no sentido de posse e donos, essas cartas estão sempre saindo e entrando de novo no mercado com o passar do tempo. Tem gente que compra dual pra guardar na pasta, tem gente que não passa nem 1 semana e já vendeu, ou seja, a oferta continuou praticamente a mesma. O universo de cartas impressas não muda, mas a oferta - que é menor que esse universo - pode aumentar ou diminuir dependendo de como essas cartas estão sendo tratadas. Eu realmente queria estudar isso mais a fundo, porque tem outros fatores também no lado da oferta.

Ao contrário do que muita gente pensa, inflação constante não é uma máxima do capitalismo, inflação constante (ou eterna) geralmente está relacionada com medidas externas de controle de uma economia.
Uma curva de preço normal, depois do banimento do modern o preço caiu.

Num mercado mais livre, como vivíamos antes, o preço das cartas segue uma lógica - ban cai o preço, pre release sobe o preço -  e tende a estabilizar numa média. O preço sobe porque as pessoas não estão vendendo/comprando. O preço subiu, as pessoas começam a querer vender e quem queria comprar agora tem, ao invés de 1 ou 2, 10 ou 12 opções de compra. Isso gera desejo e desejo gera demanda, oferta e demanda sobem juntas, o preço cai. Preço cai as pessoas começam a segurar, pra valorizar de novo. Esse ciclo estabiliza os preços das lojas, que passam a variar bem menos os preços, atingindo uma média em que o fluxo de compra e vendas se torna economicamente satisfatório. A inflação contínua acontece quando a- acontece alguma coisa atípica nesse ciclo, como uma debandada/entrada massiva de jogadores inesperada b- seguidos incidentes ocorrem forçando seguidas altas c- desvalorização da moeda (que vem ocorrendo nos EUA e no Brasil. Mesmo que a relação real x dólar continue a mesma o dólar está se desvalorizando, portanto o real está se desvalorizando em mesma proporção) d- ação deliberada de forças externas como especulação.

A tendência do mercado de magic é lentamente se tornando mais caro a cada ano pela desvalorização da moeda, entrada de mais jogadores, etc etc. Um salto no preço pode ser causado por aumento extremo da demanda em relação à oferta. Se, no final desse ano, a wizards anunciar que a player base aumentou 50%, podemos chorar e entrar no devedor pra comprar as cartas porque a tendência é os preços continuarem subindo, já que essa seria a principal causa do salto nos preços. Se a wizards anunciar crescimento padrão - 25% - ou bem abaixo do padrão - digamos 10% - podem saber que o salto nos preços foi causado por forças externas - especulação - e isso vai estourar, os preços vão cair de novo.
O salto de quase 100% de janeiro a julho de 2014 é completamente absurdo.

Outra coisa que acho preocupante é que com o crescimento da SCG, agora com torneios Standard, Legacy e Modern todo final de semana, game night em escala mundial e o cartel de preços que eles executam na américa - simplesmente o maior mercado - é possível que eles consigam manter essa alta nos preços ou pelo menos o salto dos preços: Quando estourar a bolha especulativa eles não abaixem tanto os preços pra que quando começar a crescer de novo continue tudo caro. (Que nem o que acontece com o preço dos combustíveis. Vocês se lembram dos saltos que deram, mas lembram alguma vez que o preço recuou bastante?)

Já viram alguma vez falarem de preços de cartas nos SCG Open? NUNCA vi. Eu assisto todos, todo final de semana, nunca ouvi uma mínima discussão sobre o encarecimento do jogo. Claro, os comentaristas não precisam comprar cartas, a SCG arranja pra eles qualquer carta que eles precisarem. Eles falam mal da Wizards. Criticam as coisas, falam como os bans e o metagame estão sendo tratados, falam pouco, mas falam de vez em quando. A Wizards, por sua vez, tem uma política de não discutir/influenciar o mercado secundário. Eles não respondem por ele, por todas as declarações do Mark Roosewater e do Aaron Forsythe eu realmente acredito que eles tentam se manter à distância disso. Eles sabem que qualquer declaração equivocada (4 palavras "confirmado reprint de Fetchlands")  pode causar um caos no mercado secundário e voltar pra eles em vários ângulos diferentes incluindo multas e processos judiciais. Legalmente a wizards não pode vender singles ou influenciar a venda de singles, eles são como a Panini: vendem estampas colecionáveis. Já tentaram mexer no preço das cartas antes, deu merda e eles tentam se manter o mais longe possível pra evitar mais merdas. Modern Masters por exemplo: calcularam a quantidade pra que tivesse mínima influência no preço das cartas, em alguns casos o tiro saiu pela culatra e as cartas aumentaram de preço, mas em geral a maioria das cartas não teve grande variação no preço. Inclusive, alteraram a raridade de staples pra que essas cartas tivessem menos impacto ainda como Aether Vial, Tarmogoyf e Dark Confidant. Eu não vejo a Wizards fazendo uma jogada pra controlar o mercado secundário ou pra influenciar massivamente, eles não ganham um centavo a mais com o aumento do preço de staples, eles só vendem produto selado... pra lojas! Quem vende caro são as lojas, não a wizards. FTV 20 custava 40 dólares pela wizards, as lojas vendiam a 200 dólares!
Acho que é preciso fazer um estudo detalhado do mercado de magic, (eu to muito inclinado a fazer isso, só preciso de uma motivação e uma recompensa por isso). Descobrir todos os dados possíveis, quantos jogadores entram, nível de engajamento dos jogadores, quanto tempo as pessoas seguram as cartas, porque seguram as cartas, porque vendem, como compram, como vendem, desvendar todos os mistérios do mercado de magic, expor os especuladores, fazer os gráficos de tudo, manter um cálculo atualizado da inflação média, etc, etc, etc. Precisa criar um Ministério da Economia do Magic. A gente vem enfrentando os preços, mas nós somos brasileiros, nossa economia é assim há um bom tempo. Compramos quando podemos, mas nunca paramos de comprar. Muita gente para de jogar por falta de dinheiro por aqui, mas nossa realidade é completamente diferente dos EUA. Eu não sei exatamente como é o mercado por lá, mas eles tem grupos no facebook que rejeitam os preços das lojas e tem um valor terciário das cartas, mais barato que a gente paga aqui. Mas isso é possível porque oferta e demanda lá são muito superiores do que no Brasil. Se temos 13 mil membros no Magic the Gathering Brasil, eles tem 13 mil só no High End, que é um grupo só de cartas mais caras (50 dólares pra cima). Eles são muito maiores e mesmo assim, não é o melhor lugar pra comprar magic! Enquanto isso nós nos baseamos em SCG porque não temos lojas com preço justo nem estoque que atenda à toda a demanda.

O que a gente precisa fazer? Não sei. Eu sei que estou esperando pra ver se a bolha estoura logo pra eu poder fechar meu Death and Taxes sem ter que gastar dois meses de salário com os terrenos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário